A Osteopatia como forma de prevenção

Carla Rosa // Maio 28, 2018
Partilhar

Todos temos as nossas rotinas e o nosso trabalho, que nos ocupa grande parte do tempo. E, no dia-a-dia, ganhamos posturas de defesa em movimentos muitos simples sem sequer nos darmos conta disso. Só que a verdade é que ao adoptarmos posturas de compensação nas horas de trabalho, a maior parte das vezes na mesma posição, tem como consequência o aparecimento de dores.

O organismo altera-se e vão-se verificando modificações na nossa parte interna: alterações na coluna, tensões nos músculos, congestão nos tecidos, alterando a forma como os fluídos fluem pelo nosso corpo. O sistema nervoso periférico, que tem origem na coluna, vai, por consequência, alterar o trabalho dos órgãos e vísceras, e, dependendo da pessoa e do seu quotidiano, vai expressar-se mais na zona que estiver debilitada. E, quando se instala o quadro de dor, é habitual pensar: “Isto vai passar!”.

De forma inconsciente, todos adoptamos posturas de defesa.

O nosso corpo, que é uma máquina perfeita, adapta-se a uma postura que lhe seja mais confortável, mesmo sendo uma má postura, desde que “mascare” a dor. São as chamadas posturas de defesa, que adoptamos, na maioria dos casos, de forma inconsciente.

Com o tempo o nosso organismo vai tentar combater este processo, mas o que vai ocorrer é o agravamento do quadro clínico, surgindo mais dor e desconforto. Com posturas de compensação da coluna vão alterar-se os arcos fisiológicos e, com o tempo, começam a aparecer lesões, não só na coluna como nos órgãos e vísceras.

Como se define a lesão Osteopática?

A lesão Osteopática define-se patologicamente como uma anomalia estrutural, manifestando-se através de pressão ou irritação, que produzem uma desorganização funcional levando à diminuição da capacidade imunitária de todo o corpo ou de uma só parte. Em síntese, a patologia tem a sua origem no deficiente funcionamento estrutural que destabiliza a base do sistema imunológico do organismo, representando este processo um desequilíbrio entre estrutura e função.

A visão da Osteopatia. 

Por esta razão, a visão que a Osteopatia tem sobre a doença baseia-se:

  • Na desorganização das condições estruturais;
  • No mau funcionamento das condições funcionais entre fluídos, nervos, tecidos e órgãos. E, consequentemente, num desequilíbrio entre órgãos ou tecidos que são envolvidos por um dos fluídos (sangue ou linfa).

A patologia de toda a enfermidade deriva da fisiologia exacerbada ou deprimida.

A nossa susceptibilidade às doenças depende do grau de desvio que apresentamos, no que diz respeito à normalidade da integração no organismo, da capacidade normal de resistência de todas as partes do corpo e da capacidade das toxinas e/ou dos micro-organismos para invadir e causar mudanças. Esta é a base para que se produzam processos degenerativos. O que quero dizer com isto é que as bactérias podem atacar o corpo quando existe algum tipo de fragilidade ou vulnerabilidade. Todas as doenças têm a sua origem em algum tipo de deficiência imunológica.

É importante reajustar toda a nossa estrutura e combater as más posturas.

Posto isto, é seguro dizer-se que é de extrema importância um reajustamento de toda a nossa estrutura, segundo um ponto de vista equilibrado, e se consiga combater as más posturas adquiridas no dia-a-dia.

Como prevenção, e caso não se verifiquem queixas, devemos consultar um Osteopata, pelo menos, de dois em dois meses.

Social Media

Copyright © 2023 Simply Flow. Todos os direitos reservados.

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Aceitar Saber mais