Como fazer um documentário sobre sustentabilidade de forma sustentável?

É P’ra Amanhã // Outubro 25, 2019
Partilhar

“Como fazer um documentário sobre sustentabilidade de forma sustentável” foi das primeiras perguntas que nos colocámos quando começámos a desenhar a nossa rota. Como nos vamos mover? O que vamos comer? Onde vamos ficar? Como conseguimos deixar a menor pegada durante a nossa viagem?

De todos os desafios que encontrámos, a mobilidade foi talvez a maior.

A ideia inicial era filmar o documentário percorrendo Portugal de bicicleta. Rapidamente percebemos que a logística era irrealista e que teríamos de ter um carro eléctrico como apoio, por causa da bagagem e do material. 

Assim, dividimos a nossa mobilidade por caminhadas, bicicletas, transportes públicos e carros eléctricos. Quando tínhamos o apoio do carro, ele facilitava-nos o transporte e aliviava-nos as costas, mas não nos livrava de peripécias. Carregar o carro, fora das grandes cidades, não foi nada fácil – a mobilidade não foi nada fácil. Mas, quando olhamos para trás sentimos que não podia ter sido de outra maneira. 

Com tantos quilómetros, os momentos de repouso foram uma parte importante das rodagens.

E nesses momentos contámos com o apoio de imensas pessoas – familiares, amigos, apoiantes, seguidores e desconhecidos. Não nos cansamos de agradecer – esta série também é vossa. Não só vai retratar as soluções positivas, que já se fazem em termos de sustentabilidade em Portugal, como a quantidade enorme de pessoas disponíveis e inspiradoras que conhecemos pelo caminho. 

Todos os entrevistados e os seus projetos acrescentaram muitas coisas positivas, mas não foram os únicos. As pessoas que nos ajudaram ao longo do caminho também o fizeram, e não foram poucas. Quer para nos dar estadia, alimentação, abraços ou um pouco da sua energia. Na estadia, demos prioridade à nossa rede escolhendo, sempre que possível, ficar em casa de familiares, amigos ou de amigos de amigos, reforçando a economia de partilha. 

Outra das maneiras de diminuirmos a nossa pegada ecológica é através da alimentação.

Escolher que alimentos comemos, como são produzidos, qual a sua origem, que recursos utilizam, são temas que iremos abordar na nossa série. E como conseguimos controlar todas essas variáveis? Cozinhando!

Comprávamos os ingredientes que precisávamos, a granel de preferência, e cozinhávamos quando tínhamos essa possibilidade. Fazíamos logo jantar para esse dia e almoço para o dia seguinte. E papas de aveia. Às vezes feitas ao lume de manhã, outras – em modo preguiçoso ou sem possibilidade de fogão – no dia anterior, que partilhamos a receita:

Papas de Aveia preguiçosas

Para o pequeno-almoço na estrada de 5 pessoas…e não só.

Ingredientes:

Sempre que possível biológicos e locais.

  • entre 300g a 400g de aveia;
  • 2 bananas;
  • 2 maçãs ou outra fruta a gosto;
  • raspas de limão q.b.;
  • 1/2 colher de sopa de canela;
  • bebida vegetal q.b.

Preparação:

1. Colocar a aveia num recipiente com espaço suficiente para os restantes ingredientes;

2. Cortar as bananas e maçãs em pequenos pedaços e juntar à aveia; 

3. Acrescentar as raspas de limão e a canela, a gosto;

4. Colocar bebida vegetal suficiente para cobrir todos os ingredientes até ao topo e mais um pouco;

5. Deixar repousar no frigorífico durante a noite;

6. Desfrutar de um pequeno-almoço nutritivo e saciante.

Também comemos fora e tivemos ainda a sorte de experimentar algumas comidas preparadas por membros de projectos que entrevistámos. Resumindo… comemos bem e a nossa sorte foi que andámos muito a pé senão iam ver-nos a engordar ao longo da série!

Estas são só algumas das histórias que temos para partilhar sobre a produção do nosso documentário.

Mas, é importante lembrar que posso comprar tudo a granel, mas se não olho para a origem dos meus produtos, estou a pôr centenas de kg de CO2 no meu cesto todas as semanas e isso não é muito sustentável, pois não?

Ser e afirmar-se sustentável tornou-se uma moda, há por isso que começar a ser mais exigente e ir para lá dessa palavra. Foi por isso que tentámos que a sustentabilidade não fosse apenas uma dimensão isolada do nosso documentário, mas, sim, o princípio por detrás de todas as nossas escolhas: como nos deslocamos, de onde vem o que comemos e consumimos e o quão embalado está, qual a sua pegada?

Era infinitamente mais fácil ter feito este documentário sem pensar em nada destas questões, e seguir o velho mote “faz o que eu digo não o que eu faço”. Mas, num mundo de rótulos rápidos e onde praticamente todas as cores se começam a tornar verde, quisemos acima de tudo ser coerentes na mensagem que queríamos passar.

Se quiserem saber mais, podem ir até ao Organii Ecomarket, amanhã (dia 26 de Outubro), às 13h. O Edgar e a Teresa lá estarão para vos contar mais sobre esta aventura. Podem também seguir-nos no facebook e no instagram, onde vamos partilhando alguns dos nossos desafios. Em breve começamos a levantar um bocadinho o véu sobre esta série, que está prevista sair no início do próximo ano. 

Nota: Fotografia destaque por Verónica Silva

Ler mais

Social Media

Copyright © 2023 Simply Flow. Todos os direitos reservados.

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Aceitar Saber mais