O amor mora no andar de cima

Fátima Lopes // Abril 18, 2024
Partilhar
O amor mora no andar de cima
O amor mora no andar de cima

Depois de uma pequena interrupção nos romances, regresso a este estilo que tanto gosto. Desta vez com “O amor mora no andar de cima”. Esta é a história de Ana, uma escritora de sucesso, cujos livros são campeões de vendas e fazem sonhar e suspirar as suas fiéis leitoras, com homens de sonho, paisagens maravilhosas, frases motivadoras e histórias de amor apaixonantes. Mas a vida de Ana é bem diferente daquela que conta nas páginas dos seus livros e ela está cansada de a viver. 

Ana mora num prédio antigo em Lisboa, trabalha muito, cumpre rigorosamente os seus deveres e obrigações e não se permite divertir, relaxar e aproveitar o melhor da vida. 

Tudo porque carrega um trauma do passado que não a deixa ser feliz e bloqueia a sua capacidade de ter alguma leveza na forma como encara os desafios que se apresentam, mesmo que sejam simples e banais. 

Apesar do muito sucesso que tem, Ana é uma mulher triste e que grande parte do tempo, sente-se muito sozinha. 

Tem como vizinhos um casal de idosos com quem criou uma relação de grande cumplicidade, a partir do momento em que se mudou para aquele prédio, com uma filha pequena. Isabel, a sua filha, foi sempre a sua grande razão de viver e o seu farol. 

Neste livro a personagem principal é uma mãe solteira e a minha escolha foi motivada pelas muitas viagens que faço pelo país, onde me apercebo que há inúmeras mulheres a criarem sozinhas o(s) seu(s) filhos, desdobrando-se e reinventando-se para fazerem deles gente de bem, mesmo que elas fiquem muitas vezes esquecidas no caminho. 

O papel da vizinhança é valorizado nesta história, assim como a forma como tantos idosos vivem esquecidos nas suas casas, com dificuldade em criar ou manter relação com outros. A D.Clarisse e o Sr.António são uma espécie de segundos pais para a Ana e segundos avós para a Isabel, e isso é algo bonito e positivo para todos. 

A vida de Ana está prestes a sofrer uma mudança. Tem um livro que não consegue acabar, simplesmente porque está bloqueada criativamente. 

Conhece uma leitora misteriosa cuja história a intriga e com quem vem a criar uma relação de grande proximidade, que se vai revelar fundamental para que essa mulher se liberte da situação complicada em que vive. 

O charmoso diretor da sua editora, que vive no andar de cima do escritório, não desiste de a conquistar e Ana não se sente preparada para isso. E, por fim, o novo vizinho do andar de cima, de sorriso nos lábios, música no sotaque e simpatia natural, abana o seu mundo e as suas ideias fechadas sobre o que é uma vida normal e feliz. 

Neste livro falo de solidão, do tempo que dedicamos aos mais velhos, de violência doméstica, do impacto dos traumas do passado, da beleza da vida, das muitas formas de viver e ser feliz e da esperança. 

Este é um romance que deixa no ar a pergunta: será demasiado arriscado deixar o amor entrar? Respondam vocês. 

O amor mora no andar de cima

Nota: Fotografias por Verónica Silva

Ler mais

Social Media

Copyright © 2023 Simply Flow. Todos os direitos reservados.

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Aceitar Saber mais