22 dicas para reduzir o desperdício em celebrações e momentos festivos

Eunice Maia // Novembro 6, 2020
Partilhar
reduzir desperdício celebrações
reduzir desperdício celebrações

Quando falamos da nossa casa, é mais fácil reduzir o desperdício, mas, quando passamos para a esfera coletiva, a dos outros, torna-se um pouco mais complicado. Ainda mais quando se trata de eventos e festas: queremos energia positiva, alegria e celebração, não policiamento. Como manter esse espírito comemorativo intocado, sem julgamentos, sem fundamentalismos, garantindo a mínima geração de lixo? 

Como reduzir o desperdício de resíduos?

Do ponto de vista da prevenção dos resíduos, o maior trunfo que a experiência me ensinou foi que os eventos livres de descartáveis, além de serem mais ecológicos, são definitivamente mais bonitos e económicos. Esse é um argumento muito eficaz na hora de seduzir e mobilizar as pessoas que, comprometidas com o lado estético e financeiro do planeamento, acabam também por assumir indiretamente um compromisso ativo de redução de desperdício. De facto, se recorrermos a materiais de que já dispomos e que reutilizamos, ou que alugamos, ou que produzimos a partir de outros já existentes, torna-se também muito mais vantajoso economicamente. Convém repetir vezes sem conta: nada é mais sustentável do que aquilo que já temos em casa!

E, além da prevenção da geração de resíduos…

Como reduzir o desperdício alimentar?

Da mesma forma que em relação a outras áreas da nossa vida, o mais importante é planificar e comunicar com antecedência com todos os envolvidos – de convidados a parceiros – seja qual for a escala do evento que estamos a preparar.

reduzir desperdício festas e eventos

22 dicas para reduzir o desperdício em festas e eventos:

As ideias que deixo a seguir ajudam-nos a atuar nessas duas áreas (resíduos e desperdício alimentar) e a evitar desperdícios.

Antes do evento

  1. Em vez de convites físicos, pode optar por convites digitais; 
  2. Envie, com antecedência, um e-mail aos convidados, explicando os seus esforços de redução e pedindo para aderirem ao sistema BYO (“Bring your own” / “Traga o seu próprio” – copo, talheres, porta-talheres…);  
  3. Faça o mesmo com eventuais parceiros e fornecedores, num tom mais assertivo. Comunique os seus objetivos e avise previamente todos sobre os materiais a privilegiar. Faça disso um critério de seleção.  

Faça um plano!

  1. Garanta a existência e a localização dos pontos de reciclagem; 
  2. Faça uma lista de todos os materiais de que vai precisar e a sua forma de descarte (isto permitir-lhe-á eliminar tudo o que não é totalmente reciclável ou totalmente compostável), assim como o respetivo fornecedor e transportador (para poder comunicar com antecedência com eles);
  3. Para encaminhar os resíduos orgânicos, que podem ser gerados em grandes quantidades, dependendo da escala do evento, procure contactar quer associações de recolha de excedentes alimentares, quer hortas urbanas e centros de compostagem comunitária; 
  4. Pode alugar louça ou reutilizar a que já tem, dependendo da escala do evento. Há também vários ceramistas artesanais com quem pode falar e que podem ter interesse em ceder as suas peças ou os seus ensaios bonitos, mas com pequenas imperfeições — é uma forma criativa não só de mostrar o trabalho de quem admira, mas também de evitar o desperdício; 
  5. E o mesmo em relação ao mobiliário: pode usar paletes ou alugar equipamento, ou ainda reutilizar mobília em segunda mão; 
  6. Planifique as refeições tendo em conta o número de convidados confirmados: pense em porções pequenas, apenas o suficiente;
  7. Planifique um menu que aproveite integralmente os alimentos e faça uma lista de compras detalhada com as quantidades necessárias;
  8. Recorra a projetos como a Fruta Feia e similares para se abastecer e incorpore alimentos que, de outra forma, seriam descartados. Fruta e legumes feios são saborosos;
  9. Se possível, compre a granel e na quantidade exata de que vai precisar;
  10. Depois das compras, acondicione tudo corretamente, para prolongar a vida dos alimentos.

No dia do evento

  1. Assegure a existência de estações de hidratação: frascos grandes de vidro com dispensador a granel ou fontes de água. Pode utilizar cascas de fruta provenientes da confeção de receitas para aromatizar a água;
  2. Não recorra a balões. Por isso, mesmo que o evento não decorra junto ao mar, a verdade é que, de uma forma ou de outra (porque o que sobe acaba por descer), arrastados pelo vento ou por via do saneamento e cursos de água, podem ir ter ao oceano. Estão bem documentadas, infelizmente, as consequências destes objetos em muitas espécies: aves que ingerem pedaços e morrem depois de fome, ou que acabam enredadas e imobilizadas, ou que sufocam. Substitua os balões por bolas de sabão, por exemplo; 
  3. Limite os brindes (amostras grátis, panfletos de papel). Quanto mais resíduos forem produzidos, maiores serão as taxas de descarte. Supervisione os materiais utilizados e privilegie ofertas com sentido, experiências, gestos simbólicos; 
  4. Os contentores de reciclagem devem ser claramente marcados e visíveis com sinalização própria e universal. Não deve haver contentores de lixo indiferenciado isolados; 
  5. Inclua também pontos de depósito de resíduos orgânicos para compostagem;
  6. Distribua estrategicamente pelo espaço cinzeiros portáteis para depósito de beatas para fumadores.

Pós-evento

  1. Recicle o óleo de cozinha usado na confeção dos alimentos. Para isso, contacte empresas nacionais que o transformam depois, por exemplo, em detergentes ecológicos; 
  2. Recolha e composte os resíduos orgânicos que resultaram da confeção dos pratos;
  3. Distribua pelos familiares, convidados ou amigos as sobras de refeições. Ou use-as criativamente nos dias a seguir. Pode também doar para instituições que fazem a sua recolha. Não desperdice!

Potenciais parceiros para evitar o desperdício nas suas festas e eventos:

  • Lisboa Limpa — para copos reutilizáveis; 
  • Sociedade Ponto Verde, câmara municipal e serviços de recolha — para apoio e orientação na separação de resíduos; 
  • Beataki — para sistema de recolha de beatas; 
  • Sorbos; Vegware and Tricecologic; Bioethic; Cupfee; Biotrem — para acessórios compostáveis e, em alguns casos, comestíveis; 
  • Refood; Fairmeals; Phenix Portugal; Too good to go — para excedentes alimentares; 
  • Acqualife — para sistema de hidratação em eventos; 
  • EcoX — para entrega de óleos para reciclagem e para eventos mais ecológicos. 

NOTA FINAL:

Estamos a viver um momento crítico em sociedade e teremos de esperar ainda para nos voltarmos a juntar como antes da pandemia. Este artigo, portanto, pretende reunir alguns conselhos muito práticos que podem ser adaptados a qualquer escala. Não se trata de incentivar ajuntamentos, mas de deixar, a propósito do aniversário do Simply Flow, dicas que possamos aplicar mais tarde, quando, reunidas as condições de segurança, o possamos voltar a fazer com mais tranquilidade.

Ler mais

Social Media

Copyright © 2023 Simply Flow. Todos os direitos reservados.

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Aceitar Saber mais