21 Dias de Positividade com Rute Caldeira

Fátima Lopes // Setembro 25, 2020
Partilhar

O Wanderlust está de regresso a Portugal pelo 4.º ano e procurando adaptar-se ao desafio destes novos tempos. Não é um evento que irá acontecer com a liberdade que todos nós conhecemos e, por isso, foram feitas várias adaptações. Ao contrário das edições anteriores, este ano o evento irá acontecer maioritariamente online e foi precisamente para esse projecto online que o Wanderlust me convidou para, juntamente com a Rute Caldeira, fazer um projecto chamado “21 Dias de Positividade”, com o apoio da Médis. 

21 Dias para criar novos hábitos

O “21 Dias de Positividade” tem como objetivo deixar pequenas meditações que ajudem as pessoas a fazer uma viragem nas suas vidas e a começarem um novo ciclo, tal como o fim de Verão e o início do Outono nos pedem. 

E qual é o meu papel neste projecto que tanta alegria me proporcionou? Enquanto a Rute ficou responsável por criar as meditações, eu fiquei com a tarefa de fazer as introduções e as conclusões das mesmas, nestes “21 Dias de Positividade”. Assim, cada vez que um de vós termine uma destas meditações, fica com as ferramentas necessárias para fazer acontecer algo dentro de si. E atenção! Não vale inventar desculpas, porque as meditações têm entre 5 e 7 minutos.

Estes “21 Dias de Positividade” exigem escassos minutos diários, mas que podem fazer toda a diferença ao criar uma nova forma de pensar, sentir e projectar aquilo que querem da vida. 

Em que consiste este desafio de positividade?

O 1.º dia é dedicado à vitória do dia, que é acordar e estar vivo. E isto pode parecer algo óbvio, mas é, sem dúvida, uma grande bênção podermos celebrar essa pequena grande vitória diariamente. 

O 2.º dia contempla uma meditação dedicada à beleza de poder escutar e à atenção plena sobre todos os sons. 

No 3.º dia a Rute faz uma meditação sobre a bênção de poder ver e chama a atenção para a importância que tem nós podermos ver as cores, as paisagens e toda a informação que nos chega através dos nossos olhos. 

Ao 4.º dia temos uma meditação dedicada ao saborear a vida porque muitas vezes passamos pela vida e não a vivemos, não nos detemos nas coisas. E é também o saborear a nível gastronómico. A riqueza que os sabores nos trazem e as viagens que nos permitem fazer enquanto saboreamos um alimento qualquer.

No 5.º dia temos uma meditação dedicada a cheirar o mundo. É muito engraçado como existem pessoas que têm memórias olfativas riquíssimas. Outras, através apenas do olfacto, conseguem viver experiências que os outros sentidos não proporcionam.

Ao 6.º dia deixamos um convite para que toque a vida e permita que a vida lhe toque a si. 

No 7.º  dia, caminhar em consciência é o tema proposto. A caminhada é, de certeza, das experiências mais ricas que nós, seres humanos, podemos fazer. 

Ao 8.º dia propomos que comunique com amor e verdade, escolhendo a medicina da palavra. 

O 9.º dia é um convite à escuta activa, o saber parar para ouvir o outro, qual a mensagem que o outro tem para mim, quais os seus ensinamentos. 

No 10.º dia sugerimos que transforme a dor em dom, utilizando o mantra “Eu não sei como, mas o melhor está-me a acontecer agora”

No 11.º dia queremos que abrace a simplicidade. Conecte-se com aquilo que é simples, puro, gratuito e está cá todos os dias para tornar a vida mais rica.

Ao 12.º dia fazemos um convite para a conexão profunda com a magia de respirar, para que possa experienciar todos os benefícios que a respiração nos pode trazer. 

Ao 13.º dia paramos no silêncio convidando-a/o a ouvir o que o silêncio nos conta e a honrar o vazio. 

A meditação do 14.º dia é dedicada a honrar todas as nossas emoções, pois todas elas são positivas, mesmo as que nos trazem dor, porque atrás dessa dor há um crescimento profundo. 

O 15.º dia é um convite para o dia do abraço. Os abraços são terapêuticos e, atualmente, é um verdadeiro luxo poder abraçar porque é qualquer coisa que temos estado impedidos de fazer. A verdade é que o abraço desbloqueia e o abraço cura. 

O 16.º dia é o dia de oferecer compaixão a si mesma/o e libertar a exigência tornando-se compassiva/o com o outro. 

O 17.º dia é dedicado ao amor. Como aprender a conectar-me com o sentimento puro que existe dentro de mim? Esse é o desafio que deixamos nesta meditação. Relembrarmos como é poderoso esse sentimento.  

Ao 18.º dia o convite é relaxar. Aconteça o que acontecer, neste dia tire 10 minutos para si. Nutra-se. Cuide-se. Faça por si aquilo que seria capaz de fazer pelos outros. 

No 19.º dia dedicamo-nos ao movimento. Fazer uma caminhada ao ar-livre usando a atenção plena é uma das sugestões. 

O 20.º dia é o dia do convite para Ser. O dia em que deixamos as seguintes perguntas para que possa reflectir: O que te move? Qual a tua missão pela qual queres ser relembrada/o?

Por fim, no 21.º dia terminamos com a gratidão. É o dia em que damos graças por tudo o que temos vivido, por tudo o que somos e por tudo o que temos.

Este é um desafio ao qual qualquer pessoa pode aceder gratuitamente. Junte-se a nós nestes “21 Dias de Positividade”.

Nota: Fotografias por Verónica Silva

Ler mais

Social Media

Copyright © 2023 Simply Flow. Todos os direitos reservados.

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Aceitar Saber mais