17 Dicas para motivar as crianças no regresso às aulas

Bárbara Ramos Dias // Setembro 18, 2020
Partilhar

Muitos pais têm perguntado como podem motivar os filhos no retomar dos estudos. “Bárbara, não sei como o motivar… tenho medo que esteja disperso…. só quer ver o computador e jogos… ponho de castigo?” Para retomar as atividades e o ritmo frenético das aulas, nós, pais, devemos essencialmente ajudá-los a planear, criar objetivos concretos e reais, dar incentivos (não monetários), enfim, orientá-los e não fazer por eles. 

A motivação é importante, mas atenção aos excessos.

Após 20 anos de intervenção com adolescentes, penso que a motivação não é o sucesso do segredo escolar. A motivação é importante sim, mas cuidado com os excessos. Estes levam à ansiedade e ao medo de fracassar, que muitas vezes resultam em episódios de ansiedade e pânico.

Verdade é que quando não estão motivados aprendem pouco e esquecem depressa. Quando estão motivados concentram-se melhor no trabalho, não se distraem com “uma mosca” e não interrompem com diversas desculpas.

O mais importante no retomar os estudos é perceber que todos somos diferentes.

O nosso estilo de memória motivação e aprendizagem também são muito diferentes. 

A memória e estilo de aprendizagem dividem-se em visual, auditiva ou cinestésica. Ou seja, aprendemos e memorizamos mais facilmente através do que vimos, do que escutamos ou do que sentimos.

Deixo-vos algumas dicas para estudar com os vossos filhos, dependendo da sua aprendizagem. 

CinestésicaVisualAuditiva
EstudarCom intervalos frequentes, utilizar dramatizações, jogos e exploração do movimentoA partir de imagens, fotografias, cartazes, gráficos, filmes, slides e outros estímulos visuaisCom música ambiente, fazer jogos com os sons das palavras, recorrer a sons da natureza para facilitar o processo de aprendizagem
Como desenvolverDramatizar, interpretando personagens com movimentos, imaginar na prática os conteúdos, movimentar-se, manusear conteúdos, acompanhar aquilo que se pretende memorizar com movimentos corporaisFazer desenhos, mapas, gráficos e esquemas, utilizar cores, sublinhados e criar imagens mentais dos conteúdosUtilizar música, ouvir conteúdos a estudar ou apresentá-los como uma música, cantar os conteúdos
LimitaçõesNão se sentem bem se estiverem quietos durante muito tempo, podem escrever de forma confusa, sentirem-se perdidos quando desempenham tarefas pouco familiaresDificuldade em recordar instruções verbais, dificuldade na expressão verbal, dificuldade em manter a atençãoDistraem-se facilmente com o barulho, preferem ouvir do que ler, podem não gostar de escrever, dificuldades em memorizar estímulos visuais

Como saber qual o estilo de memória e aprendizagem?

Através de uma sessão com um/a psicólogo/a, que aplica testes específicos para identificar as especificidades de cada criança.

Como motivar o teu filho a voltar a estudar?

Então para motivares o teu filho começa gradualmente a rever e reajustar horários e rotinas. Lembrem-te, os miúdos precisam de regras e rotinas para se sentirem seguros. Os limites, as duras balizas, dão confiança no agir. Atenção, sem exageros

A ansiedade é gerada pelo medo do desconhecido, pelo medo de errar, pelo medo da reação e expectativas dos pais. Se fizermos tudo com calma, de forma harmoniosa, planeada, organizada, e sem os “stressar”, tudo irá fluir. Cabe a nós, pais, passar-lhes essa calma e segurança: “Tu consegues. Vou ajudar-te a organizar tudo”. E não passar-lhes gritos, obrigações, castigos e ameaças. 

17 conselhos úteis no regresso às aulas:

  1. Volta aos hábitos de sono, começar a deitar e levantar mais cedo para não custar tanto depois. Voltar gradualmente às rotinas antigas de horários e obrigações;
  2. Estabelece objetivos concretos e realistas com ele. Lembra-te que deves distinguir os objetivos a curto e longo prazo para que se sinta mais organizado e não se sinta frustrado e desmotivado;
  3. Ajuda-o a planificar e fazer cronograma, organizando o dia, onde consta tópicos da matéria, tempo necessário de estudo, tempo de brincadeira, desporto, tempo de família e com os amigos. É importante o equilíbrio, não é só estudar;
  4. Pede que arrume o quarto, principalmente a secretária, para preparar para a chegada do novo ano;
  5. Organiza com ele o material escolar de forma divertida. Vejam o que falta e o que podem reaproveitar do ano anterior. Atenção, ensina que não é necessário comprar tudo novo;
  6. Ensina a estudar segundo o seu melhor método de aprendizagem e motivação: auditivo, visual ou cinestésico;
  7. Os temas mais interessantes ficam mais tempo na memória, logo os pais devem criar estratégias e ângulos de abordagem que tornem as matérias mais próximas dos gostos dos filhos;
  8. O estudo deve começar sempre por uma tarefa mais fácil ou mais interessante e se o seu filho estiver “bloqueado”, mais vale começar por fazer algo diferente e agradável, como dançar ou correr, para depois regressar aos estudos com outra vontade;
  9. Se vires que ele não consegue naquele momento, não insistas! Pede-lhe que pare, e que faça algo que lhe seja agradável e relaxante. (por exemplo: dançar, correr, ouvir música, ler, ver tv). Vais ver que depois, quando ele tentar mais tarde, já vai ter outra vontade;
  10. Ajuda-o a perceber porque está sempre a adiar o estudo. È porque está triste? É porque não gosta da matéria? Ou porque simplesmente não lhe apetece? É porquê? Questiona-o até que ele encontrar a sua resposta;
  11. Ajuda-o a pensar no que vai sentir quando receber um bom resultado. Isso vai motivá-lo a estudar;
  12. Diz-lhe que deve diversificar os assuntos e métodos de estudo durante o dia de estudo, para que não se farte;
  13. Não o deixes estudar com fome ou sede. Faz-lhe um bom lanche. Sabes que o cérebro bem hidratado com 2 bons copos de água funcionam de outra forma?
  14. Dá-lhe alimentos bons para memória, concentração e tranquilidade (sem stress) – como brócolos, banana, laranja, maracujá, entre outros;
  15. Incentiva-o a fazer pausas de 5 ou 10 minutos por cada hora ou de duas em duas horas;
  16. Dá-lhe prémios (não financeiros) pelos objectivos;
  17. Nada de stress! Sabias que o desporto, o riso, os abraços, o dormir bem, caminhadas ao ar-livre, teres tempo para ti e fazeres o que gostas, baixam os níveis de stress? Quanto mais tranquilo estiver o teu filho, melhores resultados vai ter. Ensina que deve usar o stress como amigo e não como inimigo.

Resumindo, devemos lidar com o regresso à escola de forma tranquila, com alegria, planeamento em conjunto, criando objetivos comuns para pais e filhos, com regras para família (para filhos e também para pais) amor e muita confiança

As regras principais são o respeito e o amor.

Alguns pais perguntam-me: “Bárbara, como consegue fazer tudo isto com os seus filhos?”. Utilizo todas as estratégias que abordei em cima, brincar, sair de casa, partilhar, jogar. A principal regra é o respeito e amor pelo outro. Fazemos aquilo que a todos dá prazer, como ir á praia, piscina, passear, andar bicicleta, skate, caminhar, jogar jogos de tabuleiro, cartas, raquetes, conversar, dançar, fazer teatros, criar coreografias e, claro, faz parte dos dias de hoje, terem um tempinho (1 hora por dia, enquanto nós preparamos as coisas para sair de casa) também para estarem nas suas séries e smartphones.

Dou incentivos, em vez de castigos, por exemplo, “se se portarem bem e não discutirem uns com os outros de forma tonta, vamos ao cinema, ou vamos à piscina, ou vamos fazer o picnic com amigos”. Enfim, aquilo que a eles lhes fizer mais sentido, de forma a motivá-los à tranquilidade e harmonia familiar. Se não, depois da férias, nós, pais, é que precisamos de férias! Para mim, férias é paz, diversão e amor com pepitas de alegria, claro, regado com regras e limites de cada família.

Valoriza o teu filho e bons estudos! 

Ler mais

Social Media

Copyright © 2023 Simply Flow. Todos os direitos reservados.

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Aceitar Saber mais