10 coisas que deve saber antes de iniciar um jejum

André Amorim // Janeiro 31, 2022
Partilhar
jejum
jejum

Embora o jejum seja um processo absolutamente natural da Natureza e a biologia humana esteja perfeitamente adaptada ao processo, há alguns princípios que devemos cumprir e assegurar de modo a garantir o máximo de resultados com a máxima segurança. 

Cada vez mais pessoas procuram o jejum como forma de melhorar a sua condição de saúde. Seja para perder peso, corrigir problemas de metabolismo, recuperar de estados de doença, fazer detox ou alcançar estados mais profundos de introspeção – o jejum serve muitos propósitos.

O que deve saber antes de iniciar um jejum:

1. Estabelecer as motivações e objetivos por detrás do processo de jejum que se pretende atravessar. 

Este é um dos segredos do sucesso que nos permite continuar a caminhar quando surgem obstáculos e desafios ao longo do processo. Tal como já mencionado estes podem ser de carácter de saúde ou mesmo espiritual.

2. Mediante os objetivos que se pretende atingir convém optar pelo tipo de jejum que melhor se adapta às nossas necessidades, rotinas e objetivo. 

De um modo simples, podemos classificar o jejum em 3 tipos diferentes com propósitos, metodologias e dificuldades variáveis. 

  • A primeira opção é o “famoso” jejum intermitente que pode ser feito diariamente ou algumas vezes por semana com intervalos variáveis (entre 12 e 24h) e geralmente é utilizado para ajudar na perda de peso. 
  • A segunda opção são os jejuns em dias alternados que podem ser feitos algumas vezes por semana ou por mês com uma duração entre 24h e 42h. É um jejum mais rigoroso que o intermitente, mas que permite obter resultados mais profundos especialmente ao nível do Detox e resolução de questões agudas de saúde. 
  • Por fim, a terceira opção é o jejum prolongado que tem uma duração superior a 3 dias e que já merece supervisão profissional especialmente para quem se inicia. Este tipo de jejum, que pode durar poucos dias ou várias semanas, trás todos os benefícios dos anteriores e permite uma renovação e reequilíbrio celular muito mais profundo e completo.

3. Se toma medicação crónica e pensa fazer um jejum mais prolongado, o seu regime terapêutico deve ser revisto.

Há muitas mudanças que ocorrem no organismo e que podem interferir com o seu esquema habitual de medicação. Durante a gravidez, aleitamento e pessoas muito debilitadas ou com doenças graves não devem realizar o jejum.

4. Mantenha os que o rodeiam informado sobre o que está a praticar. 

Embora possa ser difícil por vezes ouvir o criticismo dos que não entendem os benefícios do jejum e são guiados pelos seus medos, é sempre importante que quem o rodeia esteja informado na eventualidade de ocorrer alguma situação menos afortunada (uma tontura, náuseas, etc.) onde possa precisar de uma mão. Manter os que o rodeiam informados é também sempre uma oportunidade de lhes ensinar mais sobre os benefícios do jejum.

5. Embora seja completamente possível fazer um jejum mantendo uma atividade física e mental intensiva, se está a considerar fazer um jejum mais prolongado, programe bem o(s) dia(s) em que o vai fazer

É recomendado poupar-se de atividades mais cansativas que vão colocar o corpo em esforço e que vão distrair o organismo dos processos internos de reparação que ocorrem ao longo do jejum.

6. Já pensou no tipo e qualidade dos líquidos que vai ingerir? De forma a manter o jejum (e não provocar a libertação de insulina) nenhuma caloria deve ser consumida durante todo o processo pelo que apenas água deve ser ingerida durante o processo

O consumo de sumos, refrigerantes light, chás ou mesmo café não é recomendável durante um jejum superior a 16 horas, pois o corpo procura estar num estado de repouso digestivo onde nenhum sabor ou molécula além da água devem ser consumidos. A qualidade da água é também algo a que deve prestar atenção – devendo dar preferência a águas filtradas ou puras de nascente. 

Nota: Se sentir tonturas, pode sempre acrescentar um pouco de sal à sua água.

7. Não coma demasiado na refeição antes de começar o jejum. 

Este é um hábito comum em iniciantes que julgam que por comer muito vão estar mais nutridos e aguentar melhor o jejum; tal não é verdade! Uma refeição pesada antes de iniciar o jejum vai tornar o processo de iniciar o detox a reparação interna mais demorada e atrasar todos os benefícios que procuramos colher do processo. É sempre preferível fazer uma refeição mais leve e nutritiva (como uma sopa) antes de se aventurar no jejum.

8. Ainda mais importante que a refeição anterior ao jejum é a refeição com que se quebra o mesmo! 

Especialmente em jejuns prolongados, se quebrarmos o jejum com uma refeição pesada, para além de anularmos muitos dos benefícios colhidos do jejum colocamos o sistema digestivo (que ainda está a aquecer) em sobrecarga e com dificuldade em fazer uma boa digestão e absorção da comida o que pode, inclusivamente, gerar alguns sintomas desconfortáveis. Recomendo sempre quebrar o jejum com uma refeição leve como fruta, sopa, papas de aveia ou um prato vegetariano. 

9. É normal que, especialmente durante um jejum prolongado, vá sentindo alguns sintomas relativos ao detox. 

É importante estar alerta que sintomas como fraqueza, falta de vontade, dores de cabeça, sensação de calor ou frio, apetite, tontura, dores leves, erupções cutâneas, catarro ou hálito mais forte são normais durante um processo de detox. Por seu lado, um ritmo cardíaco irregular, perda da consciência, dores fortes, vómito ou medo intenso são sintomas raros, mas que indicam que provavelmente deve procurar supervisão e quebrar o jejum.

10. Embora muitos vejam o jejum como um reset e como um meio para corrigir erros cometidos, este não deve ser utilizado como uma ferramenta apenas compensatória após dias de excessos

O jejum deve ser uma parte integrante de um bom regime de saúde como forma de melhorar cada vez a nossa resiliência e condição de saúde num mundo que está progressivamente mais tóxico.

O poder transformador do jejum

Espero que esta lista o/a ajude a ter um entendimento mais profundo sobre o jejum, bem como várias nuances ao redor desta bela prática natural, milenar, científica e gratuita de saúde! Convido-o/a a sentir os benefícios do jejum no dia-a-dia começando por um jejum mais curto e progressivamente ir crescendo em duração na medida em que se sente confortável e experiente com todo o processo.

Para aprofundar ainda mais este tema, sugiro a leitura do livro “O poder Transformador do Jejum”, da minha autoria, onde ficará a conhecer intrinsecamente esta prática para que assim se possa aventurar sem receios no jejum.

Ler mais

Social Media

Copyright © 2023 Simply Flow. Todos os direitos reservados.

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Aceitar Saber mais