By Fátima Lopes

Portugal no mapa da dança

20 Setembro, 2017 - 18:11

O ‘Genée International Ballet Competition’ é um concurso organizado pela Royal Academy of Dance (RAD), desde 1930, que coloca à prova o talento de jovens bailarinos dos cinco continentes, com idades compreendidas entre os 15 e os 18 anos.
Este ano o palco escolhido foi a capital portuguesa e o concurso decorreu de 8 a 12 de setembro, contando com a minha apresentação e a do coreógrafo César Augusto Moniz. A realização em Portugal da cerimónia para eleger os novos talentos para a Royal Academy of Dance, foi um momento muito importante para a dança no nosso país. Esta que é uma das mais influentes organizações de educação e treino em dança no mundo, trouxe a Lisboa bailarinos de muitos países, que competiram nas semifinais, a 13 e 14 de setembro, e na final, a 16 de setembro, em Lisboa.

A Royal Academy of Dance foi fundada em Portugal há quase 40 anos e, desde então, tem vindo a criar uma comunidade bastante leal. A RAD decidiu trazer este concurso internacional pela primeira vez no sentido de conhecer diferentes talentos e dar mais público à Genée. Além disso, sendo Lisboa uma cidade tão culturalmente vibrante, é uma forma de todos terem uma experiência inesquecível aqui!

Que Leiria é uma referência na dança a nível nacional e internacional já não é novidade. E agora foi de Leiria que saiu o primeiro representante português a participar neste reputado concurso internacional, o ‘Genée International Ballet Competition’. Chama-se João Gomes, tem 15 anos, e foi o primeiro português a ingressar naquela competição internacional de ballet. João não chegou à final, mas teve uma belíssima e promissora prestação. O futuro advinha-se brilhante.
Como brilhante foi a noite no Teatro Camões, onde os finalistas executaram três momentos, um deles da autoria do nosso coreógrafo César Augusto Moniz. E vale a pena lembrar quem é este homem, que se empenhou a 100%, neste evento, ajudando os bailarinos a conseguirem mostrar o seu melhor.

César Augusto Moniz formou-se em 1981 na escola de dança Ballet Gulbenkian e ganhou uma bolsa para estudar na escola de dança Rosella Hightower, em Cannes, França. Mais tarde juntou-se ao Ballet Gulbenkian, em Lisboa, onde se tornou bailarino principal. Em 1990, foi convidado pelo célebre coreógrafo e diretor artístico Nacho Duato para integrar a Companhia Nacional de Dança de Madrid, considerada uma das melhores companhias de dança do mundo. Em 1985, desenvolveu interesse em coreografia, produção e ensino, trabalhando com muitos coreógrafos mundialmente famosos e mestres. Como coreógrafo trabalhou para televisão, moda, cinema, eventos culturais educacionais e comerciais.

Em 2006, César torna-se fundador e diretor da Companhia Kamu Suna Ballet, criando um projeto internacional, cultural e educativo Japonês/Português, Kaminari, idealizado para um encontro especial dos membros da Comunidade Europeia no Luxemburgo. Em 2007 começou a colaborar com a UNESCO como Diretor Artístico, coreógrafo, e produtor do projecto “Love the Earth”. Filmado para a televisão, foi também realizado em teatros em Portugal e no Japão.

O ano de 2011 foi marcado com a criação de Galileu Galilei – Starry Messenger, para a televisão portuguesa e de 2012 a 2015 foi diretor artístico e coreógrafo para os maiores eventos da SONAE, Disney Channel, Panda e RTP. Foi também presidente do Júri no programa “So You Think You Can Dance” em Portugal e júri do programa “Let’s Dance”.

Em 2016, César foi apresentador e criador da Gala Comemorativa do 70º Aniversário da UNESCO no Teatro Nacional de São Carlos.
César Augusto Moniz não me escondeu a emoção de ver a competição do Genée, com 86 anos de História, a acontecer, pela primeira vez, no nosso país. “O Genée International Ballet Competition” é o evento na área da dança de maior prestígio que alguma vez se realizou em Portugal e é organizado por uma das mais prestigiadas organizações da dança mundial – a Royal Academy of Dance.

Por isso, Portugal os portugueses e a dança estão de parabéns por acolherem esta organização e a realização deste concurso de dança com jovens bailarinos excelentes que chegam de todas as partes do mundo. Penso que será um evento marcante que trará visibilidade à dança em Portugal e estimulará muitos jovens artistas a escolherem esta profissão inspirados pela alta qualidade que veremos neste concurso.

César Augusto Moniz preparou dois solos para a competição, um solo para as raparigas e um para os rapazes, com ajuda de dois jovens talentosos bailarinos cedidos pela Companhia Nacional de Bailado, a Maria Barroso e o Aeden Pittendreigh, que serviram de “molde” para fazer a estrutura da coreografia que foi posteriormente adaptada aos concorrentes da competição.

A verdade é que a noite no Teatro Camões foi mágica e para mim, foi um privilégio poder assistir tão de perto ao talento, empenho e garra destes jovens. O grande vencedor da noite foi o bailarino britânico Harris Beattie, de 18 anos, que arrecadou os três prémios mais importantes nesta competição de ballet: a medalha de ouro, o prémio de Melhor Coreografia e o prémio do Público.
Notável!